Votação Um amor Berries – mini wedding completo

21 dezembro 2015

Sei que o resultado da Promoção Um amor Berries (mini wedding completo) está marcado para dia 23, certo? No entanto as inscrições acabaram ontem e após ler, reler e “rereler” as  centenas de histórias de amor enviadas eu e a Priscila Photography chegamos a uma conclusão: seria impossível decidirmos sozinhas!

Um-amor-berries_regras

Todas as histórias de amor são lindas e ficamos impressionadas com o carinho e amor que um sente pelo outro. Por mim todos seriam vencedores. Ah se eu pudesse realizar o sonho de todo mundo! A cada história que era obrigada a cortar meu coração doía pois eu sabia sim que se tratava de um amor Berries. Após centenas de leituras e releituras conseguimos chegar em 5 lindas histórias de amor, diferentes uma da outra, e que tocaram muito os nossos corações! Pessoas completamente apaixonadas e que veem nessa promoção o oportunidade de realizarem o sonho de suas vidas. A partir daí não conseguimos escolher o casal vencedor.

É por isso que precisamos MUITO da ajuda de vocês! Vocês vão poder conhecer um pouquinho de cada uma dessas histórias incríveis e decidir qual delas tem o amor mais Berries e merece ganhar o casamento dos sonhos, com um time fantástico de fornecedores!

amor berries parceiros

-> Dream Team: Priscila Photography | Bougainville Farm | Atelier de SonhosMaria Hercília Bouquet e Decoração | Casa2 Design | Só a rigor | Aparecida Blanc Atelier | Bolos da AnaCantus Cordis Lázaro Lambertucci Atelie BaobáBarmes  | Ana Tomich Design Andrezza Medina | ME Produção de EventosFlor de Renda | Desejando Brigadeiro | ABR Som | Das Gêmeas | Juliana Freitas Celebrante | Atelier da Letra

Peço que leiam com carinho, até o final, cada uma das histórias para entender o contexto geral e porque eles precisam do seu voto. Use o coração! O resultado final, conforme prometido sai dia 23 às 22 horas.
Screen Shot 2015-12-21 at 10.27.29 AM

Screen Shot 2015-12-21 at 10.28.00 AMBruno e Pri
“A minha história de amor com a Priscila tem começo há quase 7 anos, e pra falar a verdade, nossa história de amizade e admiração já tem mais de 11 anos! Era época de vestibular, e logo após a prova em Juiz de Fora-MG, o grupo de amigos se reunia eufóricos para o retorno para terrinha, Viçosa-MG. Após compradas as passagens de ônibus, eu e mais três amigos nos vimos sorteando as poltronas pra ver quem sentaria ao lado da morena de sorriso amplo..
Como de costume, meu santo da sorte não me falhou e eu fui contemplado com uma passagem pra conhecer o futuro eterno amor da minha vida!
Foram horas de conversa a fio (apesar que anos mais tarde a Pri me confessou que tinha sérios planos de dormir a viagem inteira) que resultou numa empatia imediata.. Pronto, tava plantada a sementinha do amor!

Apertando a tecla do Fast Forward >>> eu poderia contar da amizade que surgiu entre a gente nos anos seguintes de faculdade.. noites de estudo, de farra, de choro e desespero, viagens com os amigos... Mas só depois de um tempo que passei fora do país, que percebi a falta que a Pri fazia na minha vida... na minha rotina.. E começamos a nos falar bastante pela internet. Ela me contava as novas da turma da faculdade, e eu compartilhava as maravilhas do continente europeu com ela.. E sempre ao desligar, sentia aquele apertinho de saudade no peito. Daqueles que pinicam, torturam, mas trazem um calorzinho bom pro peito... e um sinal de que algo mais especial ainda estava por vir!

Tanto é que no segundo ou terceiro dia após meu retorno, em uma noite de abril, eu avistei essa morena de olhos brilhantes na minha frente.
E veio aquele comichão nas mãos.
Não teve nem oi.
Foi um beijo roubado.
-Calma..
-Mas eu nunca estive tão calmo..

E deu pra perceber, naquele momento, que naquele beijo era onde eu queria estar todos os dias. Até o dia que eu não tiver mais forças pra beijar...E a partir desse dia vocês podem imaginar uma história de amor quase 7 anos (quaaase, porque se eu disser o tempo certinho aqui e errar depois ela me corta o couro. heheheh). Essa paixão polvilhada de amor e amizade, que fazia todo mundo dizer: eu já sabia!!!

E assim somos feitos um para o outro: a Pri gosta de acordar cedo e tomar café da manhã. Eu durmo tarde, e nem me lembro de comer nada quando saio atrasado pro trabalho. A Pri gosta de cinema e jantar. Eu gosto de pub de rock n roll e dogão na saída. A Pri gosta de casa no campo e Pinot noir. Eu gosto dos meus pés na areia da praia e água de coco.
Ah, mas a Pri gosta de cozinhar, e eu..... de comer! (e também adoro lavar toda louça com muito esmero ao final ouvindo ela cantar saltitante: “quem cozinha não laaaaava...” hehheeh fazer o quê...)

E com o fim da faculdade, o que começou em Juiz de Fora foi aterrissar no Rio de Janeiro. Fizemos planos de mudarmos os dois para lá. Foi uma fase nova de descoberta do mundo de gente grande, e de apoio mútuo. Mas minha imaturidade e o foco no trabalho me impediram de perceber os desejos da Pri. Ela queria se casar e juntar os trapinhos.. eu, absorvido na nuvem da rotina, fui deixando seus sonhos pra depois...
Ela sonhava com o véu, a grinalda, o arroz no cabelo e as latinhas penduradas no carro. E eu...bem.... pra mim isso ainda eram cenas dos próximos capítulos..

Vieram alguns desentendimentos, e quando ela ficou 4 meses fora eu quase morri de saudades. Depois eu fiquei mais 2 meses estudando fora, e nós vimos o nosso amor estremecer diante da distância...

Nesse tempo separados nunca consegui esquecê-la. Nem um dia sequer.
Faltava um braço.
Um abraço.
Faltava um dente.
Faltava o ar.
Faltava o beijo.
Faltava tudo.

As vésperas de acabar nosso tempo de três anos no Rio, decidimos retomar o namoro... Mas o destino, levado que só, me enviou de mala e cuia para São Paulo, e a Pri pra Floripa. Agora nós tínhamos um amor pra reatar e 700 quilômetros de saudades.
700 quilômetros essa hora parecem 700 mil quilômetros. Que fazem parecer a Lua pertinho da minha janela se comparado a Rua Admar Gonzaga, 725 na capital de Santa Catarina.

Só que dessa vez foi diferente! Nós estávamos dispostos a correr o mundo, a esperar pela nossa vez, e a viajar 50 minutos de avião ou 15 horas de ônibus pra se ver. Novos planos vieram: noivamos. concordamos em 3 filhos. Todos homens. 1 cachorro a minha escolha. Mas no planejamento da cozinha eu não dou opinião. Acordar e fazer ioga todos dias. Um alongando o outro. E enquanto ela faz café, eu faço a barba. E enquanto eu lavo a louça ela passa o delineador.
E esses sonhos estão cada vez mais perto da realidade!
Ano que vem estou de mudança pra Floripa!

Mas tem um detalhe.
Um detalhezinho nisso tudo que me deixa inquieto.
A Pri desistiu do sonho de casar...
De casar com véu, grinalda, arroz e latinhas..
Ela diz que já passou da hora...
Que já planejou tantas vezes todos detalhes na cabeça dela, que não aguentaria se por acaso ela pensasse em tudo mais uma vez e tudo não acontecesse novamente. Isso me deixa muito triste porque sei que ela tem esse sonho pulsando dentro dela...

Nosso sonho é nos casar em Minas. Que é nossa terra, que tem nosso sotaque, que tem nossa comida e principalmente nossas famílias inteiras..
Quero muito fazer essa surpresa pra Pri! Por isso um mini wedding com todo zelo e capricho da Berries and Love seria um presente dos céus!Já consigo imaginar o sorriso no rosto da minha amada no dia! O sorriso nos olhos. O sorriso na alma!

O nosso amor é Berries.
É strawberries, blueberries, raspberries.
E é como todas essas frutinhas docinhas e azedinhas borbulhando numa taça de champagne.
Como a vida tem que ser!

Me ajudem a realizar esse sonho da minha amada!!

Obrigado por lerem até o final!

Um abraço,

Bruno.”


Screen Shot 2015-12-21 at 10.28.04 AMgiulia e thales foto berries 2

“Eu sou a Giulia, noiva do Thales e mãe do Théo. Casar é, sem dúvida, o grande sonho da minha vida, e o Berries and Love é uma grande inspiração para mim! Quando leio as histórias de amor que saem no blog, vejo como muitos casais também passam por várias provações antes de ficarem juntos, assim como foi comigo e com o Thales. Me identifico e me emociono com cada história de amor contada lá, e sonho com o dia em que o Berries vai contar a minha história, sobre a qual vou falar um pouquinho nesse e-mail.

Tudo começou de um jeito muito irreverente, e eu diria até engraçado. No início ano de 2011, após um término de relacionamento bem traumático, decidi mudar um pouco da minha vida e comecei a procurar um novo emprego. Eu estava no segundo ano do curso de Letras na UFMG (no qual acabei de me formar) quando fui convidada para trabalhar como monitora de português em uma escola particular de BH. Eu atendia alunos do ensino médio para tirar dúvidas de gramática, redação e literatura. Foi lá que conheci o Ívens, um aluno super inteligente e muito simpático. Logo nos tornamos amigos. Ívens vivia falando para mim que eu deveria conhecer o irmão dele, o Thales. Eu levava na brincadeira (mas confesso que cheguei a procurar o tal irmão no facebook e até mostrei pra minha mãe, que ficou dizendo “quem sabe, né Giulia?”). O destino, no entanto, levou a sério: de aluno, o Ívens virou cupido. E, de cupido, virou cunhado! Vou explicar melhor:

No dia 10 de junho de 2011, o Ívens pediu meu telefone para marcar algumas aulas particulares de literatura. Eu, inocentemente (JURO!), passei meu número para ele. Quem me ligou, no entanto, em plena sexta-feira às 22h, foi o irmão dele, o famoso Thales:

– Giulia? Oi, Giulia.  Você não me conhece, eu também não te conheço, mas a gente pode se conhecer. Meu nome é Thales, sou irmão do Ívens, seu aluno. Meu irmão vive dizendo que a gente daria certo.

– Oi, Thales. Ele fala muito de você!

– Onde você está?

– Num bar chamado Normal, no Sagrada Família.

– É pertinho da minha casa. Posso ir aí?

– Pode!

Que loucura! Aceitei sair com um desconhecido! Poucos minutos depois, o Thales chegou no bar em que eu estava com algumas amigas. Fomos a outro bar, conversamos sobre a nossa vida, ele me levou em casa e... demos nosso primeiro beijo! Nunca mais nos separamos. Dois dias depois, em pleno dia dos namorados, Thales subiu minha rua tocando violão pra mim (uma música linda, chamada “Divide”, do grupo Alma D’jem). Descobrimos que morávamos a dois quarteirões de distância um do outro. Descobrimos que tínhamos os mesmos gostos musicais. Descobrimos que a minha voz com o violão que ele tocava se encaixavam perfeitamente. Nasceu nosso amor.

(Minha mãe vivia dizendo que queria para mim um “menino de Deus”. E como a reza da minha mãe é forte, acabamos descobrindo que o Thales era super ativo no encontro de jovens da Igreja de Santa Teresa, para onde ele acabou me levando. Nosso relacionamento foi crescendo com a bênção de Deus).

Pouco mais de um ano depois, em setembro de 2012, com a proximidade do meu aniversário, Thales brincou dizendo que queria me dar um presente que fizesse com que eu nunca mais me esquecesse dele. Coincidência ou não, no dia 9 de outubro de 2012, exatamente no dia do meu aniversário de 21 anos, recebemos uma notícia que mudaria totalmente as nossas vidas: eu estava grávida.

O que íamos fazer? Éramos estudantes, estagiários, morávamos com nossos pais. Liguei chorando desesperadamente para o Thales e contei. Para a minha surpresa, a voz doce e calma do outro lado da linha só conseguiu dizer:

– Amor, eu estou com você, eu não vou te abandonar. Eu te amo! As coisas não acontecem sempre na ordem que sonhamos ou imaginamos, mas tudo vai se acertar e nós TRÊS vamos conseguir vencer.

E assim começou a nossa família. Porque a ordem dos fatores não altera o produto, não é mesmo?

A primeira coisa que fiz foi ir à Igreja de Santa Teresa, onde estava acontecendo uma adoração. Assisti à adoração inteira chorando como uma criança. Em seguida, a parte mais difícil: contar para a minha mãe. Eu sabia que a minha mãe tinha construído um castelo de expectativas em relação à minha vida, e eu sabia que estava prestes a destruí-lo. Ao contrário do que imaginei, no entanto, minha mãe nos acolheu quase imediatamente. E nos deu força para enfrentar tudo o que viria pela frente.

Refizemos todos os nossos planos, assumimos novas responsabilidades e fomos tocando o barco. Enfrentamos zombarias e humilhações dentro e fora da família, mas ignoramos, pois sabíamos que havia um plano maior para nós. Nasceu o Théo, nosso amor maior do mundo. Nasceu o tal “presente inesquecível” que o Thales queria me dar.

No início foi bem difícil, é verdade. Era trabalhar muito, continuar os estudos e ainda arrumar forças para cuidar de um bebê. Ainda morávamos com a minha mãe e, apesar de todo o carinho dela conosco, não era essa a situação ideal. Nada disso, no entanto, nos fez desistir do nosso projeto de família. Todo esforço, todo cansaço era recompensado com um simples sorrisinho do nosso filho. Após a formatura do Thales, em 2014, as coisas começaram a melhorar. Conseguimos alugar nosso apê e finalmente ter um lar para chamar de nosso! A ajuda da família foi fundamental: em cada pedacinho da nossa casa tem um pouquinho de alguém que nos ajudou a subir mais esse degrau.

Sim, hoje nós levamos uma vida de casados. Mas não há um dia em que não fiquemos incomodados com o fato de não termos celebrado a nossa união. Não há um dia em que não odiemos o fato de dizer que nosso estado civil é de solteiro. Casar já era um sonho nosso, mas hoje é mais que isso: comemorar a nossa união é também fechar um ciclo da nossa vida e começar algo novo. É comemorar o fato de termos passado por tanta dificuldade e ainda termos tanto amor um pelo outro (e pelo Théo, é claro). É celebrarmos essa vitória com a parte mais íntima da família, aquela que tanto nos acolheu e nos deu amor e força para seguir em frente. É deixar a presença de Deus inundar a cada um que participar desse dia tão especial.

Ficamos noivos no dia 26 de julho desse ano, mas ainda não conseguimos nos estabilizar financeiramente para começar a planejar a celebração. Esperamos conseguir oficializar nossa união até julho de 2017, no máximo. Se o blog nos der um empurrãozinho para fazer com que esse sonho se realize antes, ficaremos muito, MUITO felizes! Somos um casal Berries porque também não nos deixamos abater pelas dificuldades impostas a nós pela vida. Somos um casal Berries porque, para nós, a celebração e a festa são muito importantes, mas o nosso crescimento como casal é, sem dúvida, muito mais. Nós merecemos esse prêmio porque, além de termos passado por tantos obstáculos e continuarmos juntos, nunca conseguiríamos arcar com um grupo de fornecedores tão perfeito como o que vocês estão oferecendo.

É essa a nossa história, meninas. Dessa vez, bem completinha! Espero que vocês se apaixonem pela nossa história assim como nós nos apaixonamos todos os dias pelos casamentos publicados no blog! E desde já gostaríamos de agradecer imensamente por poder participar de uma promoção tão linda como essa.

Com muito amor,

Giulia, Thales e Théo.”

Screen Shot 2015-12-21 at 10.28.08 AMcris e moisés

“Nossa história possui 2 fases... Vamos à primeira delas!

Bem típico de um casal moderno, eu (Cris) e Moisés nos conhecemos na Internet! Mas não pensem que o encontro foi fácil! Além de já estarmos totalmente desacreditados de que essa forma de comunicação pudesse trazer alguém realmente especial (depois de vivermos tantas ciladas na rede), também já estávamos em uma fase de descrença total nos relacionamentos em si. Ambos já havíamos passado por namoros vazios, sem planos e sem propósito. Mas sempre com aquele sonho no coração de construir uma família, ter filhos, viver um amor verdadeiro...

Lembro que uma vez estava muito triste e fiz uma pequena oração: “Deus, eu abro mão do meu sonho de me casar. Acho que já estou passando da idade de ser mãe, não encontro alguém legal que queira construir comigo algo sério... Eu entrego em Suas mãos meu sonho de ter uma família, porque por mim mesma eu desisto!”. Não menos decepcionado, ele também não cria que poderia achar alguém para construir uma vida junto.

No início de 2014 eu havia viajado para Argentina com uma amiga e, para praticar o idioma, acabei instalando um aplicativo no celular que rastreava as pessoas próximas a mim. Na ocasião, eu configurei meu perfil para conhecer inclusive mulheres, pois eu só queria ficar treinando meu espanhol com nativos, virtualmente mesmo. Só que, ao retornar para o Brasil, eu me esqueci de desinstalar! E lá estava aquele lindo rapaz puxando assunto... Só que com o tempo fui vendo que ele não era apenas atraente, mas divertido, legal e com valores essenciais, como família e criação cristã. Quando percebemos, aquelas conversas despretensiosas começaram a ficar mais longas a cada dia e já começávamos a sentir saudades um do outro sem sequer termos nos visto! Até que decidi dar uma última chance ao “acaso” e topei nos encontrarmos pessoalmente. O que mais me impressionou foi a postura decidida dele. Ele morava em outra cidade, mas, a partir do meu sim, ele já estava aqui para me conhecer! E o encontro foi maravilhoso! Após muitas risadas, um dia inteiro sem nos desgrudarmos e após a confirmação de tantas coisas em comum (inclusive nossas crenças), o resultado não poderia ter sido outro: começamos a namorar no mesmo dia! Poucos meses depois já estávamos noivos, organizando nosso casamento que seria realizado em uma casa da família (pelas dificuldades financeiras), quando algo veio interromper nossos sonhos...

Bom... Agora vem a parte chata... Mas não menos importante! Após nove meses de relação, uma grande pisada de bola da parte dele parecia ter colocado tudo a perder. Eu costumo dizer que foi quase uma gestação mesmo, pois, uma data tão simbólica, realmente foi um marco em nosso namoro. O sonho de construir uma família parecia ter chegado ao fim. Nós sofremos muito, toda família sofreu junto... Foi um término bem triste que envolveu muitas pessoas que nos amavam!

Eu já estava decidida a seguir em frente e, humanamente falando, jamais voltaria atrás em minha decisão. Mas “algo” não me deixava esquecer nossa história e muitas vezes eu me pegava orando por ele. Olha que loucura! Alguém que me fez sofrer tanto e lá estava eu intercedendo pela transformação de Deus na vida dele... Mesmo que não fosse para ficarmos juntos, eu paguei o preço de orar por ele, crendo inclusive na promessa de Deus na vida da minha sogra, uma serva temente e fiel.

Após ele tentar dias a fio falar comigo (todas em vão), muitas lágrimas, noites sem dormir, bloqueios no Facebook, rejeições de chamadas, SMS descartados... Finalmente resolvi encontrar o Moisés para conversarmos. Depois de muito choro, uma conversa sincera e muita franqueza ao analisarmos (juntos) as causas que poderiam ter gerado todas aquelas falhas, nós resolvemos escolher o caminho do perdão e do amor. Não o amor romântico da novela ou o amor condicional que o mundo prega – aquele que, se o outro me faz bem, eu continuo, mas, se ele falha, eu o descarto. Não! Nós escolhemos o caminho do amor que tudo suporta, tudo espera e tudo crê. O amor que DECIDE amar e fazer o OUTRO feliz dia após dia. O amor que vive aquilo que se prega e crê que pessoas podem mudar SIM!!!

Depois disso ele voltou para igreja, começamos a congregar juntos e reatamos! Aí começa a fase 2 da nossa história... Hoje ele é batizado e sempre buscamos a Deus juntos. Posso dizer que é um novo homem, em processo de restauração. Atualmente, estamos fazendo o Curso de Noivos na Lagoinha. Pela fé temos uma data no coração, mas sem recurso algum para nos casarmos como sonhamos! Enquanto tantos colegas de curso estão eufóricos organizando suas festas, marcando chá de panela, promovendo festas de noivado melhores que muitos casamentos, fechando vários fornecedores em Feiras de Noivas... Não conseguimos enxergar nada, pois não temos tido apoio algum. Nem mesmo a família tem condições de ajudar a realizar nosso sonho. Quando nos perguntam: “E vocês? Quando é o casório?”... A gente só fica sem graça e só responde um tristinho : “ – Ah... Talvez a gente vá se casar só no civil por enquanto...”.

Aaaah! Algo MUITO importante de ser ressaltado! Na primeira fase do namoro nós havíamos ganhado a assessoria do dia em um concurso que escolhia a melhor história de amor. Também chegamos a ganhar fotos externas em outra seleção. Dentre tantos casais que enviaram suas histórias para participar, nós fomos escolhidos novamente... Imaginem minha tristeza e até vergonha por ter que “dispensar” os prêmios, pois havíamos rompido o noivado!

Depois que nós voltamos o relacionamento, confesso que, às vezes, eu me pegava chateada por termos ganhado algumas coisas e termos perdido a chance de desfrutar das bênçãos e glorificar a Deus com isso. Hoje entendo o motivo! O milagre precisava ser completo! Deus queria nos presentear com TODOS os fornecedores, pois Deus quando faz é por inteiro! Ele será muito mais honrado agora e todos verão que Deus restaura e traz provisão! A convicção em meu coração é muito grande. Esse milagre é nosso, pois Ele é Deus!

Na verdade só sabemos o valor real de um amor quando precisamos perdoar. Passamos pelo fogo e pela dor, para entendermos o que é amar de verdade e para contarmos para o mundo o que Jesus faz! Ajudem-nos a glorificar a Deus com nosso testemunho! É nossa maior motivação!

O caminho do perdão vale a pena! Vale lutar por uma realidade superior! Louvado seja Deus!

Para cada dia de vergonha e tristeza, Ele tem dupla honra e alegria! Ele transformou nosso pranto em festa, nossa dor em esperança e nos coroou com beleza em vez de cinzas! Casamento não é uma instituição falida. Falido é quem não consegue perdoar, não sonha e não acredita no amor! Quando nós desistimos de sonhar, existe um Deus sonhando por nós, um Deus que ama a família e finais verdadeiramente felizes! Entre tantas opções, tinha que ser a gente... “Lindoé quando alguém escolhe pousar ao teu lado, podendo voar”.”


Screen Shot 2015-12-21 at 10.28.12 AMCamila e Júnior

“Já viu aquela frase: nossa história foi escrita nas estrelas? Pois então, a nossa foi. Não que tenha acontecido no primeiro momento algo extraordinário ou de cinema, mas, pelos momentos vividos, pelo companheirismo, lealdade e principalmente amor.

Tudo começou quando um amigo em comum, que trabalhava comigo em um banco, percebeu algo em comum. Sempre quando falávamos de relacionamento, ele me dizia: ‘Camila, você tem que conhecer o Juninho. Vocês combinam demais’’ e eu sempre desviava o assunto e postergava este encontro, talvez por medo de ter mais uma desilusão amorosa. E da mesma forma, ele falava com o Junior.

Em um sábado, eu e mais três amigas resolvemos de última hora ir a uma boate em Pará de Minas! Arrumamos, pegamos o carro e fomos, sem pretensão de conhecer o príncipe encantado, sem expectativas, só querendo nos divertir. Chegando lá encontrei com o Biel, este amigo em comum, meu irmão (todos são amigos de infância), e mais uns dez amigos deles, inclusive, olha o destino colaborando, o famoso Juninho.

Quando eu o vi, pensei: que menino lindo, que sensação boa, acho que o Biel pode ter acertado. Nos conhecemos, finalmente, e ficamos conversando por horas, falando sobre família, trabalho e vários outros assuntos, os olhares davam aquela sensação de paz, a fluidez do papo trouxe conforto e, neste momento, tive a impressão que o conhecia há anos. Algo nos ligou muito forte, ou melhor, parecia mais um reencontro. Foi aí que pensei: o Biel acertou na mosca, ele não combina demais comigo, ele foi feito pra mim!

Desde então, começamos a nos encontrar, sempre com aquela vontade louca de estar sempre perto um do outro, em tão pouco tempo, parecia bom demais para ser de verdade. Uma semana depois, houve aquele momento mais gostoso, quando estávamos voltando do cinema, ele fez a pergunta que eu esperava e... a mãe dele ligou! Eis a minha surpresa quando ela perguntou onde ele estava e ele disse: estou voltando do cinema com minha futura namorada, só não sei se ela vai aceitar... aí eu derreti! Foi lindo!

A partir deste dia, 11/04/2013, assumimos um compromisso mais sério. Apresentei-o aos meus pais e choveram elogios. Valorizo muito a família, e a opinião deles foi de grande valia para mim. E a mesma coisa com a família dele, sou muito amiga de todos, me sinto em casa!

Neste tempo, passamos por diversos momentos, alegres e difíceis, no entanto um deles foi um divisor de águas em nossas vidas: ou íamos separar ou íamos dar um passo a mais no relacionamento.

Em outubro de 2014, por volta das 16:30h, comecei a sentir fortes cólicas, como nunca tinha sentido. Achei que era o princípio da minha menstruação, tomei um remédio mais forte e fiquei deitada com uma bolsa de água quente para a dor passar. Umas três horas depois, comecei a ter um sangramento forte, fiquei bem assustada. Fui ao banheiro para tomar um banho e deixar água quentinha cair para ver se melhorava, no momento em que tirei a roupa, sentei para fazer xixi, veio uma dor insuportável e senti algo caindo dentro do vaso. Meu mundo caiu, desesperei e entrei em estado de choque. Liguei para o Junior e contei o acontecido, ele foi até minha casa e me levou ao hospital. Fomos ao Vila da Serra, fui atendida por duas ginecologistas e tenho certeza que foi Deus quem as colocou em minha vida. Em um momento de tanta dor e tristeza elas conseguiram me passar um pouco de tranquilidade com as palavras certas e com o olhar doce, não sei explicar bem. E elas me informaram que eu estava grávida de dois meses e que eu havia tido um aborto espontâneo. Mesmo que fosse uma gravidez não planejada, era meu filho, uma vida sendo gerada dentro de mim, fruto de um amor lindo. Parece que alguém arrancou um pedaço do meu coração e o levou.

E para homenagear meu filho, fiz uma tatuagem com um pássaro e um coração, simbolizando o meu amor por ele, mesmo sem ver seu rostinho ou até mesmo, sem saber que estava grávida.

E foi neste acontecimento que o Junior mostrou o homem que é, era o homem que eu sempre sonhei. Fui internada às pressas para fazer a curetagem e ele esteve ao meu lado em todos os momentos, não me deixou sequer um minuto sozinha. Depois deste acontecimento tão traumático, em um momento de tanta dor, ele mostrou que não era um príncipe encantado, mas o meu companheiro real, de carne e osso, minha alma gêmea: chamou meus pais para conversar e disse que me ama muito e que estaria comigo independente de qualquer situação. E a partir deste dia eu tive certeza, que ele era o homem com quem eu queria dividir todos os dias da minha vida!

A partir daí, vieram dias mais alegres e no dia 13 de junho de 2015, sob o pôr do sol maravilhoso no restaurante Preferido do rei, ele me levou para jantar, dizendo que era comemoração do dia dos namorados. Entre conversas e risadas, o garçom levou até a mesa uma panelinha de coração dizendo ser um doce como cortesia da casa e, quando abri, as alianças estavam lá... Ele se ajoelhou e me pediu em casamento. Foi um momento em que perdi o fôlego, tão maravilhoso e romântico, como nossa jornada.

Desde então estamos planejando nosso casamento, mas, infelizmente, compramos um apartamento e a construtora declarou falência, perdemos todo o dinheiro investido. Não sabemos mais como realizar o nosso sonho. O meu, em poder celebrar com a minha família e meus amigos, usar um vestido de noiva tão sonhado e o dele, como cara romântico e sensível que é, sonha em me ver vestida de noiva. Ele é um cara muito especial, sempre traz os amigos para perto, é o elo que reúne todos, sempre sonhou em dividir essa alegria nesse dia tão especial. Não sabíamos mais se iríamos conseguir realizar (sim, no passado porque tenho fé que vou ganhar! rs rs) uma comemoração, porque o custo é muito alto e ainda arcar com todos os gastos do apartamento que estamos tendo.

E agora vocês conhecem um pouco da nossa história e fazem parte dela, podendo nos ajudar a construir mais um capítulo escrito com berries and love e felizes para sempre...

Obrigada!
Camila Gonçalves e Júnior Medina”

Screen Shot 2015-12-21 at 5.49.07 PM
lorran + Jéssica

A versão da Noiva: 

“Quando eu conheci o Lorran, eu tinha 10 anos de idade. Havia acabado de mudar de escola e ele estava lá, um dos carinhas mais populares e engraçados  da sala e logo chamou a minha atenção. Então, eu e minhas amigas mandamos uma cartinha pra ele, perguntando quem ele queria namorar e as opções de múltipla escolha. Não fui a escolhida, mas eu ele viramos bons amigos.

A nossa amizade era ótima, tínhamos muito em comum.  Gostávamos das mesmas músicas, das mesmas séries e filmes, mesmas comidas, de viajar, nos divertíamos muito quanto estávamos juntos e tínhamos um amor incomum e muito forte que era o nosso amor por Deus. Este amor estava acima de todas as coisas em nossas vidas.

Fomos crescendo e nos relacionando com outras pessoas, mas ele começou a me olhar com outros olhos.  Um dia, quando tínhamos 14 anos, voltando pra casa, tive aquela sensação de que algo iria acontecer e assim foi. Encontrei com ele na rua por acaso e neste dia aconteceu o nosso primeiro beijo.Com encontros e desencontros, optamos pela amizade. Formamos o ensino fundamental e cada um foi pra uma escola para cursar o ensino médio. Um dia nos encontramos por acaso, conversamos e foi depois disso que voltei a pensar nele, com borboletas no estômago.

Para minha surpresa, por algum motivo, ele se mudou para o mesmo colégio que eu estava estudando, nos aproximando novamente. Então a partir desse momento as coisas ficaram complicadas, porque eu namorava e não sabia como reprimir aquele sentimento que eu tinha por ele. Mas era inevitável, a amizade, as trocas de olhares, as conversas nos aproximavam cada dia mais. Não teve jeito, no dia 01 de agosto de 2008, eu terminei meu relacionamento e neste mesmo dia ele me pediu em namoro, agora era oficial, o namoro de verdade começava. A partir daí, foram inúmeras histórias, provações, momentos de alegria e de dificuldade, como toda boa historia de amor. Formamos o ensino médio juntos, fomos para faculdades de Engenharia diferentes, começamos a trabalhar, nos tornamos adultos.

Até que em 2011, Lorran apareceu com um sonho que deixou meu coração apertadinho, decidiu fazer um intercâmbio. No início, por medo,  eu fui contra, até que eu percebi que sonhar o sonho de quem a gente ama é uma das melhores coisas da vida.  Acabei fazendo do desejo dele, um desejo meu também e foi assim que em julho de 2012 eu parti primeiro para o Canadá. Em Dezembro de 2012 foi a vez dele viajar para os 4 meses de intercâmbio nos USA. Este foi um período maravilhoso pro nosso relacionamento, a famosa prova dos fogo.  Tirando a saudade, que nos matava um pouquinho a cada dia, esta distância fez com que nossa amizade e nosso amor crescessem ainda mais e nos provou que não poderíamos mais viver um sem o outro. Finalmente ele voltou, em Abril de 2013 e então decidimos que tínhamos que nos casar. Fizemos nosso plano: formar, juntar dinheiro, comprar um apartamento e nossas coisas, organizar a cerimônia e finalmente iniciar a nossa família.

No inicio de 2014, ganhamos o nosso apartamento e o mobilhamos durante o ano. Em 23 maio de 2015, ele me pediu em casamento em um dos nossos restaurantes favoritos, finalmente estávamos noivos. Tudo caminhando perfeitamente bem, era hora de começar os preparativos da cerimônia.

Um dia fomos a igreja, a palavra nos tocou de uma forma muito forte e voltamos pra casa decididos.  Escolhemos a data, escolhemos os padrinhos, os possíveis destinos da lua de mel entre outros detalhes e possibilidades. Pra nossa surpresa, nesta mesma semana ele perdeu o emprego, devido à crise econômica. Neste momento todos os planos desmoronaram. Foi um choque, ele sem emprego, eu como estagiária. Sendo assim, como iríamos continuar os planos? De onde iríamos tirar o dinheiro para fazer o casamento dos sonhos?  Oramos e pedimos a Deus direção e vimos que até este momento Ele havia sustentado nossa relação, que nunca nos faltou nada e não seriamos abandonados agora.  E tivemos uma certeza: Deus ama casamentos, fé e data.

Marcamos a data, 6 de agosto de 2016,  como prova de fé, mesmo sem saber de onde irão surgir os recursos. Deus começou a agir, ganhamos as fotos do pré wedding em um sorteio, com um fotografo excelente. Isso nos fez lembrar, com ainda mais vigor, daquele amor incomum, que eu disse no inicio da historia. Sim, o amor Berries, o maior, melhor e mais perfeito de todos,  um amor que excede todo entendimento, o amor de Deus.  É este amor que nos uniu e sustentou durante os 7 anos e sabemos que Deus irá prover todas as coisas para que  este momento seja de acordo com os sonhos Dele, que são infinitamente perfeitos e melhor do que os  nossos.Temos certeza que este casamento irá acontecer e vocês podem ser o caminho desta benção pra nós, então seremos prova de um milagre do amor de Deus e teremos uma história ainda mais linda pra contar.

A versão do Noivo: 

Conheci a Jéssica no colégio quando éramos novos, cursando o ensino fundamental. Naquela época não dava muita confiança para ela exceto pelo fato de que eramos amigos. Não pensava em namorar sério, na verdade queria curtir, tinha minha vida fora do colégio e tinha minhas paqueras. Depois, vi nela algo diferente e me interessar, então comecei a me aproximar, conversar e a paquerá-la. Após muito investir, ela acabou cedendo e nós ficamos pela primeira vez. Foi o melhor beijo que alguém havia me dado, e então comecei a me apaixonar.

Depois de nosso primeiro beijo, ficamos algumas vezes mais, mas acabamos nos distanciando, seguimos outros rumos. Após formarmos o ensino fundamental, fomos separados e cada um foi para um colégio. Mas por algum motivo, creio eu que pela vontade de Deus, acabei me mudando para o mesmo colégio que ela estava, e então novamente começamos a nos aproximar, conversar, e a criar sentimentos que cresciam cada vez mais. Ela já não se sentia muito bem no seu relacionamento e eu buscava uma menina que eu pudesse me relacionar, ter um compromisso sério, e tinha certeza que ela era essa pessoa certa para mim. Então comecei a investir novamente nela, primeiramente como amigo, aconselhando, conversando, escutando e fazendo ela rir. Depois de algum tempo ela também percebeu que estávamos apaixonados  e que deveríamos seguir o nosso coração, foi então que ela se entregou pra mim. Após ela terminar, não perdi tempo, a beijei e fiz o pedido de namoro, que foi muito bem respondido com um SIM super feliz dela. Vivemos momentos felizes e bonitos juntos desde então, claro como todo casal, com  algumas dificuldades.

Após terminarmos o ensino médio, começou uma nova etapa em novas vidas, tempo de começar um curso superior, de trabalhar e buscar nosso sonhos, mas até o momento não estávamos pensando em nos casar. Porém depois de tantos anos de relacionamento começamos a pensar no futuro, em construir nossa vida  juntos. O problema é que não tínhamos condições para bancar um casamento ou um lar. Foi então que mais uma vez Deus, que sempre esteve em nossas vidas, nos surpreendeu. Fomos abençoados com um apartamento novinho pelo meu pai para que começássemos os preparativos para casar e formar nossa família, então não perdi tempo e fiz o pedido.

Após isso, planejamos  e conversamos sobre todos os preparativos  para casar, mas devido o atual cenário econômico do país, acabei sendo demitido, o que foi um grande balde de água fria nos nossos planos. Mas com a fé que temos em Deus e acreditando no nosso potencial, marcamos o casamento para 06 de agosto de 2016 e desde então buscamos, dentro das nossas condições, os recursos necessários para realizar nosso sonho.

Cremos no amor de Deus e acreditamos que para termos a nossa cerimônia de casamento e continuarmos a viver a nossa história de amor da maneira como desejamos, basta acreditarmos e batalharmos por nossos sonhos, pois nada acontece por um acaso. Não foi por nada que Deus nos uniu, e depois de tudo que aconteceu, acreditamos no poder desse nosso amor Berries  e cremos que esta promoção é um agir de Deus em nossas vidas para realização do sonho da cerimônia perfeita.”

 

Screen Shot 2015-12-23 at 8.10.44 PMQual casal merece ganhar a promocao? - grafico circular-2
RESULTADO